sexta-feira , 28 fevereiro 2020
Home / Política / Alexandre Frota faz acordo com boate gay por calote em 2007

Alexandre Frota faz acordo com boate gay por calote em 2007

Alexandre Frota faz acordo com boate gay por calote em 2007 (Imagem: Reprodução/ Instagram)
Alexandre Frota (PSDB) decidiu fazer um acordo de R$ 50 mil com a empresa que o processou em 2007. O caso aconteceu por um calote do ator em uma boate gay em Brasília.

De acordo com informações da revista Época, os advogados do deputado procuraram a empresária brasiliense Nice Pereira e fechou o acordo. A dívida acumulada já passava de R$ 80 mil.

Após mais de dez anos do caso, Alexandre Frota se manifestou no processo no ano passado, quando a Justiça ameaçou bloquear seu salário de deputado federal recém-eleito.

Atualmente, cabe lembrar, o deputado tem enfrentado a família do presidente Jair Bolsonaro, após deixar o PSL há alguns meses. Recentemente, no Twitter, ele não só atacou o governante como, também, o filho dele, o deputado Eduardo Bolsonaro.

As críticas foram publicadas pelo ex-ator pornô aconteceu horas após a divulgação de que Eduardo voltaria à liderança do PSL na Câmara dos Deputados, desbancando a também deputada federal Joice Hasselman (PSL).

“Eduardo volta líder e a Bruxa do 71 comemora. Essa política é uma putaria nem queiram saber. Pagam de conservadores, mas é a babilônia pura. O cara não quer o PSL mas quer ser o líder do PSL. Vai montar outro partido, mas quer o fundo e a TV do PSL”, disparou junto de uma manchete do site O Antagonista.

Em outra publicação, desta vez da Folha de S. Paulo, Frota chamou Eduardo de “oportunista”: “Com bolsonaristas oportunistas de volta, Eduardo desbanca Joice e reassume liderança do PSL. Agora ele volta da viagem de 15 dias e aparece para fazer foto e gravar vídeo. Cansativo, ainda bem que encerra amanhã todo o circo”.

Terra

Veja Também

‘Se eu não tiver a cabeça no lugar, eu alopro’, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (Reprodução)O presidente Jair Bolsonaro afirmou, neste sábado, 21, haver abuso por ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *