SBT admite “equívoco” e tira do ar slogan usado na ditadura

5

´Brasil, ame-o ou deixe-o´. Este foi o slogan divulgado pelo SBT nesta terça-feira, 6. O bordão foi transmitido pela primeira vez durante o intervalo do programa Fofocalizando.

Ao som do hino nacional, a vinheta tinha 15 segundos. A frase ´Brasil, ame-o ou deixe-o´ era dirigida aos opositores da ditadura militar no País, no período de 1964 a 1985.

Após a reação negativa nas redes sociais, o SBT retirou o slogan do ar.
Assista ao vídeo:

“A emissora cometeu um equívoco de não se atentar que este bordão foi forte na época do regime militar”, segundo nota oficial da assessoria de imprensa do SBT enviada ao E+.

Nas redes sociais, os internautas não perdoaram e satirizaram a palavra ´equívoco´ utilizada pelo canal de Sílvio Santos.

Ao mesmo tempo, apesar da repercussão negativa do bordão ´Brasil, ame-o ou deixe-o´, o dono do Baú preparou uma série de mensagens enaltecendo o patriotismo, com direito a músicas e slogans de campanhas nacionalistas promovidas durante o governo do general Emílio Garrastazu Médici, um dos períodos mais repressivos da época.

De acordo com o documento enviado pelo SBT, a ideia das vinhetas é “passar uma mensagem de união, esperança e otimismo aos telespectadores brasileiros e aos que não são, porém vivem no País”.

No ar desde os anos 1980, o canal foi parar nas mãos de Silvio Santos graças a concessão dada por um dos presidentes do regime militar, João Figueiredo. Arlindo Silva, que trabalhou durante 25 anos com o dono do SBT como assessor de imprensa, diretor de Jornalismo e porta-voz nas campanhas políticas, conta detalhes da concessão no livro A Fantástica História de Silvio Santos.

Logo após conquistar a então TVS, o empresário criou o quadro Semana do Presidente, em que eventos de agenda presidencial eram divulgados. O programa foi ao ar por mais de vinte anos.

Terra

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA