Bolsonaro diz que homem que matou capoeirista cometeu ‘um excesso’

4

Jair Bolsonaro comentou nesta terça-feira (9) o assassinato do mestre de capoeira Moa do Katendê, morto após levar 12 facadas. Para o candidato do PSL à Presidência da República, o suspeito cometeu um excesso.

“Pô, cara! Foi lá pergunta essa invertida… quem tomou a facada fui eu, pô! O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”, disse Bolsonaro, segundo o G1.

O capitão reformado afirma ainda que a violência e intolerância vem dos simpatizantes de Fernando Haddad (PT), seu adversário na disputa pelo segundo turno das eleições presidenciais.

“A violência veio do outro lado, a intolerância veio do outro lado. Eu sou a prova, graças a Deus, viva disso aí”, acrescentou.

Em tempo, vale lembrar que durante a campanha do primeiro turno, Jair Bolsonaro defendeu “fuzilar a petralhada” durante discurso no Acre. Os petistas acusaram o capitão reformado de fomentar o ódio.

NoticiasaoMinuto

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA