Santos demite três funcionárias após suspeita de ´golpe´

3


Após apontar um movimento suspeito na secretaria social em nota oficial na última quarta-feira, o Santos demitiu três funcionárias do departamento nesta quinta: Dinah Tabasco Pernambuco, Juliana dos Santos Clemente Souza e Mirella de Castro Direito. (Foto: Reprodução/ Terra)

Após apontar um movimento suspeito na secretaria social em nota oficial na última quarta-feira, o Santos demitiu três funcionárias do departamento nesta quinta: Dinah Tabasco Pernambuco, Juliana dos Santos Clemente Souza e Mirella de Castro Direito.

Oficialmente, o clube argumenta excesso de profissionais na secretaria depois que parte do trabalho foi repassado para a empresa “Redegol”. Acredita-se, porém, que as três eram ligadas ao vice Orlando Rollo, em guerra com o presidente José Carlos Peres.

Diante da suspeita de renegociação indevida de dívidas de associados, o alvinegro anunciou atendimento individual e apenas para o titular da conta e proibiu o acesso remoto, fora das dependências da Vila Belmiro, para os funcionários da secretaria.

O Santos afirma que, nos últimos dias, algumas pessoas não identificadas foram ao estádio para pedir listagem de sócios inadimplentes. Vale lembrar que, para a votação do impeachment de Peres no dia 29, o associado precisa ser filiado há pelo menos um ano e estar em dia com as mensalidades.

Veja abaixo o comunicado sobre atendimento aos sócios:

“Srs Associados,

Informamos que em função do estranho e suspeito movimento nos últimos dias em nossa Secretaria Social de pessoas portando listas de sócios inadimplentes com o objetivo de quitar em volume débitos de terceiros, a partir de amanhã (13/9), o atendimento será apenas individualmente com os titulares da associação.

Lamentamos que, mais uma vez, vejamos a tentativa de repetição de velhas e conhecidas práticas de cooptação de associados em momentos de votação” 

Terra

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA