Mbappé x Suárez: França e Uruguai decidem o primeiro semifinalista

10


Mbappé e Suárez se enfrentam nesta sexta-feira, em Níjni Novgorod (Foto: Catherine Ivill – Maddie Meyer/Getty Images)

O primeiro semifinalista da Copa do Mundo de 2018 será conhecido nesta sexta-feira, a partir das 11 horas (de Brasília), em Níjni Novgorod, em duelo muito equilibrado entre Uruguai e França. Com três títulos mundiais em campo – dois pelo lado uruguaio e um pelo francês -, sairá desta partida o adversário do Brasil, caso o time comandado por Tite avance no confronto com a Bélgica, na semifinal.

Do lado sul-americano, Suárez, atacante do Barcelona, é o destaque, já que Cavani é dúvida após lesão contra Portugal – um edema na panturrilha esquerda. Pelo lado europeu, o jovem Mbappé, de apenas 19 anos, veloz atacante com três gols no Mundial, companheiro de Neymar e Cavani no PSG, é o grande destaque.

Além de dupla de ataque, o Uruguai chega com força de sua sólida defesa, formada por Giménez e Godín no centro. Sofreu apenas um gol em quatro jogos, justamente nas oitavas de final, contra Portugal, o que dá ao time uruguaio a melhor defesa do torneio, ao lado do Brasil.

Mas o time pode jogar sem um de seus principais jogadores, Edinson Cavani, com três gols no torneio. O técnico Óscar Tabárez prefere manter suspense, mas a presença do jogador é improvável. “A presença  de Cavani eu deixo em aberto. Em um dia vamos saber quem vai integrar o time titular e quem será reserva. Desde que ele se lesionou sabemos a dor que lhe causa estar vivendo isso em um Mundial. É um jogador importante para nós e está num momento futebolístico bom, no auge. Trabalhou para se recuperar, está concentrado nos seus sonhos”, declarou o treinador nesta quinta-feira, 5.

Sem Cavani, o peso da responsabilidade cai em Suárez, que disputa sua terceira Copa seguida e busca repetir o sucesso que tem obtido no Barcelona, sem as polêmicas dos últimos Mundiais. Em 2010, evitou de mão o gol da vitória de Gana no fim da prorrogação nas quartas de final. Foi expulso, mas viu o time se classificar nos pênaltis. Perdeu a semifinal contra a Holanda, mas voltou na disputa pelo terceiro lugar contra a Alemanha. Em 2014, chegou lesionado ao Brasil, mas marcou dois gols na vitória de 2 a 1 contra a Inglaterra em São Paulo. No triunfo de 1 a 0 contra a Itália em Salvador, mordeu o zagueiro Chiellini e foi suspenso pelo restante do Mundial. Agora, tem a responsabilidade de tentar classificar a equipe em jogo que promete ser duríssimo contra a França.

O time francês é jovem e tenta voltar à uma semifinal de Copa 12 anos depois. No Brasil, foi eliminado pela Alemanha nas quartas de final, em jogo muito duro. Na ocasião, os franceses não tinham favoritismo, mas, mesmo assim, fizeram um duelo equilibrado. Dessa vez, também contra adversário duro, chega com um certo favoritismo, mais experiente. Após o vice-campeonato europeu em casa, perdendo para Portugal na final dois anos atrás, a França tem como destaques os habilidosos Griezmann e Mbappé no ataque.

Mbappé não esteve na Eurocopa. Naquele ano, foi o principal jogador da França, campeã do Campeonato Europeu sub-19. Hoje ele novamente é protagonista do time, vice-campeão europeu reforçado, e um dos favoritos a conquistar o bicampeonato mundial. O jogador sequer era nascido na primeira conquista francesa, em 1998. Ao seu lado joga o já experiente Griezmann, 27 anos, principal jogador do Atlético de Madri, onde atua a segura dupla de zaga uruguaia, Giménez e Godín, que promete um duro duelo contra o atacante francês, companheiro de time.

 

Veja

 

SEM COMENTÁRIO