Acusado de arrombamentos foi morto a tiros de pistola esta noite em Caririaçu

35

“Nego Cinza” foi executado a tiros de pistola (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Quase um mês depois e novo homicídio foi registrado em Caririaçu se constituindo no terceiro do mês de julho na região do Cariri. Por volta das 18h30min desta quinta-feira o ex-presidiário Julio Almeida da Silva, de 20 anos, que era apelidado por “Nego Cinza”, foi executado com seis tiros de pistola calibre 380 em várias partes do corpo. O crime aconteceu perto de sua casa na Rua Francisco Félix Cardoso, 162 (Bairro Palestina) para onde seguia.

O mesmo respondia diversos procedimentos por furtos qualificados desde sua menoridade e mais um caso de violência doméstica, em fevereiro último, quando agrediu sua própria mãe Cosma Alves da Silva. Inclusive, o seu irmão é acusado do tráfico de drogas tendo, recentemente, deixado a cadeia pública de Caririaçu usando uma tornozeleira eletrônica. “Nego Cinza” foi morto por dois homens que fugiram numa moto num caso de execução sumária.

A polícia foi avisada e uma patrulha do Destacamento de Caririaçu esteve no local sob o comando do Sargento Silva, com o apoio do Sargento Astanio e dos Soldados Everson e Palmeira. “Nego Cinza” já tinha sido vítima de um atentado no dia 30 de outubro de 2016 e escapou no hospital local. Na época, morava na Rua Luiz Rolim (Bairro José Agostinho) e foi lesionado com um tiro no ombro num terreno baldio perto do Matadouro de Caririaçu.

Este foi o primeiro homicídio do mês de julho em Caririaçu e o quinto deste ano no município ou 45,45% em relação aos 11 assassinatos registrados no decorrer do ano passado. O último deste ano tinha acontecido no dia 7 de junho quando o pedreiro João Evangelista da Silva, de 44 anos, foi encontrado com o corpo crivado de balas em um matagal perto de sua casa na Rua Joaquim Daniel de Freitas no bairro Bico da Arara. Ele não tinha passagens pela polícia e havia saído para tomar banho num açude perto.

Por Demontier Tenório
Miséria.com.br

SEM COMENTÁRIO