Ceará tem gasolina e diesel mais caros do Nordeste, segundo pesquisa da ANP

6

A média de preços praticados tanto para a venda de gasolina como de diesel no Ceará entre 10 e 16 de junho foi a mais alta entre os estados do Nordeste, de acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O valor médio cobrado pelo litro do diesel no Estado foi R$ 3,626 no período, um recuo de 0,7% ante a média da semana anterior, que era R$ 3,653.

O valor máximo para o combustível encontrado pelos agentes da ANP no Ceará no período foi de R$ 4,050, no Crato, município que também apresentou a maior média de preço cobrada no Estado, de R$ 3,820. Já o valor mínimo praticado foi de R$ 3,330, em Crateús. A cidade de Sobral registrou a menor média de preço entre os municípios cearenses, de R$ 3,48 o litro.

Já em relação à gasolina, o preço médio cobrado por estabelecimentos no Estado foi de R$ 4,766 o litro na semana passada, um recuo de 0,3% ante a semana anterior, quando registrou a média de R$ 4,784. O maior preço encontrado foi de R$ 4,970, em Crateús (cuja média é a maior do Estado, de R$ 4,913) e o valor mínimo, R$ 4,52, em Limoeiro do Norte – o município apresentou a menor média de preço no Estado, de R$ 4,57.

Na Capital, a média do litro de gasolina foi de R$ 4,799, com preço máximo de R$ 4,899 e mínimo de R$ 4,750. Em comparação à semana anterior, houve uma queda de 0,2% na média de preços praticados.

No País

Os dados coletados pela agência mostram que, pela segunda semana consecutiva, o preço do diesel nos postos do Brasil recuou. A queda é resultado do programa de subsídios ao combustível que fez parte do acordo, entre o governo federal e caminhoneiros, que pôs fim à greve de 11 dias da categoria.

Ainda segundo a agência reguladora, o valor médio do diesel nos postos brasileiros atingiu uma média de R$ 3,434 por litro nesta semana, queda de 1,4% em relação aos R$ 3,482 registrados na semana anterior.

Apesar do recuo, o preço nas bombas dos postos do País ainda não refletiu a redução média de R$ 0,46 por litro realizada nas refinarias. Segundo a ANP, isso ainda é um reflexo de estoques antigos. Além disso, para que o corte chegue ao consumidor final, muitos estados ainda precisam reduzir o preço de referência para a cobrança do ICMS.

A gasolina registrou preço médio nos postos do Brasil de R$ 4,572 na semana passada, queda de 3 centavos, se comparada ao preço da semana anterior. Os reajustes permanecem quase que diários, seguindo indicadores internacionais, como o preço do barril do petróleo e o dólar.

Consulta Pública

Na última semana, o presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, disse que aguardará resultados de uma consulta pública – que termina no dia 2 de julho – sobre preços dos combustíveis anunciada pela ANP antes de decidir se será necessária uma mudança na frequência dos reajustes no preço realizado pela estatal.

Fonte: Diário do Nordeste

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA