“Por um metro e meio nós não morremos”, diz Alok sobre acidente

7


DJ falou no ´Programa do Porchat´ sobre avião que saiu da pista em Minas Gerais, no último fim de semana (Foto:Reprodução)

Em entrevista ao Programa do Porchat na quarta-feira, Alok revelou que seu avião correu risco de explodir durante acidente em Minas Gerais, no último fim de semana. “Por um metro e meio a gente não morreu, porque o avião ia cair na ribanceira. Nós estávamos indo para Belém, e [a queda] foi em Juiz de Fora — ou seja, o tanque estava cheio suficiente para fazermos fazer o voo de três, quatro horas”, conjecturou.

O músico ainda lembrou detalhes do acidente: “O avião levantou e voltou pro chão. Nessa hora, eu achei que ele ia retomar e tentar levantar de novo, mas não, ele já freou. Só que dizem que depois que você passa do limite de velocidade, não pode mais brecar, porque o avião não consegue parar até o fim da pista. E a gente sabe que em Juiz de Fora tem uma ribanceira no final da pista”.

“Quando o avião saiu da pista, eu, desesperado, já soltei meu cinto e comecei: ‘Galera, vamos morrer! Como assim? Não estou acreditando!´”. Questionado sobre o motivo pelo qual tirou o aparato de segurança — justamente no momento em que ele poderia ser necessário –, o DJ explicou: “Eu sou daqueles que ia morrer gritando. Não queria ficar parado. Queria de alguma forma tentar me salvar, avisar a galera, não sei, eu me desesperei”.

“No final, sabe o que salvou a gente, por incrível que pareça? O peso. Porque ela (a aeronave) atolou no último segundo, ali. Aí o trem de pouso atolou, a barriga do avião sentou e o bico parou numa árvore, também”, complementou.

 

Veja

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA