Ceará é derrotado pela Chapecoense fora de casa e aumenta jejum de vitórias na Série A

11

O início de Série A do Campeonato Brasileiro tem sido um verdadeiro pesadelo para o Ceará. A cada rodada o Vovô se complica ainda mais na competição e ontem o time amargou mais uma derrota, sendo batido fora de casa por 2 a 0 para a Chapecoense, pela 8ª rodada, na Arena Condá, em Chapecó (SC). Foi a 5ª derrota em 8 jogos na Série A, com o Alvinegro se mantendo na 19ª colocação com 3 pontos, todos vindos após empates.

Por permitir mais um rival direto na luta contra o rebaixamento somar 3 pontos, a exemplo do que fez diante do Vitória em Salvador, o Ceará vai afundando na tabela e deixando seus adversários respirarem. Assim, o clube já está 5 pontos de distância para o primeiro clube fora do Z-4.

O resultado aumentou o jejum de vitórias do time cearense, que continua sem vencer na elite após 8 rodadas. Na sequência, já são 10 jogos sem vitória, com os dois empates das quartas de finais da Copa do Nordeste com o CRB. Cada vez mais pressionado, o Ceará volta a jogar no domingo, 3, contra o Cruzeiro, às 19 horas no Castelão.

Para buscar sua primeira vitória na Série A, o técnico Jorginho promoveu mudanças na equipe e no modelo tático. Só que as entradas de Fabinho, Pio, Hyuri e Douglas Coutinho não surtiram o efeito esperado, que era dar mais volume ao meio campo e velocidade no ataque.

Mas a exemplo de jogos anteriores, o Ceará não conseguiu ser produtivo no ataque e ainda sofreu na defesa. Mesmo tendo mais posse de bola que o adversário, o Ceará não conseguiu tramar boas jogadas de ataque, resumindo-se a dois lances, um em cabeçada de Valdo para fora após cobrança de escanteio, e uma cobrança de falta de Pio que desviou na zaga. E lá atrás, além da defesa sofrer para marcar os avanços do sempre veloz Apodi, o goleiro Éverson precisou realizar duas belas defesas em finalizações de Guilherme e Leandro Pereira.

Para a etapa final, o técnico Jorginho tirou o estreante Fabinho, volante desgastado fisicamente, e pôs o zagueiro Tiago Alves. Com isso, Valdo foi adiantado para jogar de volante.

Pelo menos no início da etapa final o Ceará se soltou mais ofensivamente, perdendo boas chances com Hyuri e Wescley. Mas com a improvisação a defesa ficou mais vulnerável e a Chape aumentou a pressão, insistindo em atacar pelos flancos, buscando a jogada aérea para o centroavante Leandro Pereira.

Gols

Quando o técnico do time da casa, Gilson Kleina pôs mais um centroavante na equipe, com Wellington Paulista no lugar de Guilherme, o time insistiu mais ainda nos cruzamentos e o gol saiu assim, aos 17 minutos do 2º tempo: após cruzamento de Wellington Paulista, Arthur Caíque se antecipou a defesa e empurrou para as redes: 1 a 0.

O gol abalou a equipe alvinegra, pela situação crítica da equipe na tabela e ainda sem vitórias. O técnico Jorginho, ainda lançou o meia Reina no lugar de Valdo buscando alguma reação, mas o Vovô criaria apenas mais uma chance em chute de Douglas Coutinho que o goleiro Jandrei defendeu.

E pior, sofreria o segundo gols aos 33 minutos, em precisa cobrança de falta de Canteros, deixando o goleiro Éverson imóvel.

Batido, o Vovô não mostrou reação nos 15 minutos finais, enquanto a Chapecoense segurou sem problemas o resultado, que o tirou momentaneamente do Z-4 e aumentou a agonia da torcida alvinegra.

Fonte: Diário do Nordeste

 

 

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA