Zona Rural quase some no novo mapa de Juazeiro do Norte

24

Mapa atualizado aponta que o território de Juazeiro é predominantemente urbano (Foto: Jornal do Cariri)

Juazeiro do Norte atravessa um processo gradativo de crescimento de sua zona urbana, estimado em 3,5% para cada um dos últimos cinco anos. O fenômeno pode ser detectado ao observar o mapa territorial do Município. A obra teve sua quinta edição lançada este mês, pelo engenheiro civil Mário Bem Filho, junto ao livro “Juazeiro do Norte – Seu espaço físico”, e traz dados como as 69 praças e 1.813 vias.

A primeira edição do mapa de Juazeiro do Norte foi lançada pelo engenheiro em 2001 e levou um ano para ser produzida. A atual quinta edição, feita durante seis meses, compila informações de leis aprovadas pela Câmara de Vereadores, como o acréscimo de duzentas novas ruas, e apresenta dado interessante: praticamente não há zona rural em Juazeiro.

“Creio que sejam só dez por cento. À medida que o núcleo urbano vai crescendo, a zona rural vai se transformando em urbana e a Câmara cria leis com novas denominações”, explica Mário Bem Filho. “Isso acontece em todo o lugar do mundo, que antigamente era quase todo rural e hoje é o inverso: 80% praticamente são de área urbana e 20% rural”.

Sítios, como o Carité, agora são bairros. A porção do Município no entorno da fábrica da Cajuína agora é denominada Bairro São Geraldo. “Hoje, não existe mais o bairro Brejo Seco, que agora é chamado Professora Maria Angeli de Sá Barreto, uma senhora que morou naquela localidade e muito querida pelos moradores. Brejo Seco existe apenas o sítio”, exemplifica Mário.

O crescimento é atribuído pelo engenheiro à figura do Padre Cícero. Segundo acrescenta, Juazeiro é uma cidade atípica, que cresce mais do que muitas outras cidades. “Surpreende porque a cada dia nos deparamos com um loteamento novo, uma rua, uma nova empresa que se instala, uma nova faculdade ou indústria que vem. Juazeiro é uma cidade que cresce a olhos vistos”.

Georreferenciamento

O mais novo mapa não traz, contudo, dados do recente georreferenciamento promovido no Ceará e que suscitou debates no Cariri. Mário Bem Filho explica que o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa do Ceará paralisaram a discussão sobre a temática e preferiu “não colocar essa novidade no mapa porque iria criar uma polêmica.”

Uma lei, promulgada em dezembro de 2016, ajustou limites de 26 municípios e regularizou o território de outras 102 cidades. Juazeiro do Norte, contudo, alegou perda de espaços nos bairros Brejo Seco, Campo Alegre, Cidade Universitária e Lagoa Seca. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Inovação declarou, à época, que edifícios e equipamentos públicos foram “cortados ao meio”, causando confusão em endereços.

Fonte: Jornal do Cariri

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA